Página Inicial Institucional Cursos Exames Blog Links Contato
 
 
Aliança Francesa Caxias do Sul
 
     

Blog

   
  » ARQUIVO
  » 2017
  » 2016
  » 2015
  » 2014
  » 2013
  » 2012
  » 2011
  » 2010
  » 2009
   
  » MARCADORES
  » AF
  » Animação
  » Anniversaire
  » Arquitetura
  » Artes
  » Automobilismo
  » Beleza
  » Biografia
  » Capacitação
  » Carros
  » Ce que j'ai vu en France
  » Cesar Mateus
  » Ciência
  » Cinema
  » Claudete Travi
  » Confraternização
  » Culinária
  » Cultura
  » Curiosidades
  » Dança
  » Design
  » Dicas
  » Entrevista
  » Escultura
  » Esportes
  » Evento
  » Fenêtres Ouvertes
  » Fotos
  » Frisson em Paris
  » Frisson em Paris 2012
  » História
  » HQ
  » Ilustrações
  » Imprensa
  » Intercâmbio
  » La première fois que j’ai vu...
  » Literatura
  » Marília Galvão
  » Meio ambiente
  » Moda
  » Música
  » Pintores
  » Plume d'Or
  » Polêmica
  » Política
  » Promoções
  » Publicidade
  » Resenha
  » Revista
  » Solidariedade
  » Teatro
  » Trabalhos de aula
  » Turismo
  » TV
  » Viagem
  » Vídeo
  » Visitas
 
 
Quinta-Feira, 03 de setembro de 2015

Le Projet Haussmanhattan

 
 O fotógrafo e arquiteto francês, Luis Fernandes, resolveu unir o seu encanto e talento em um mesmo projeto. O gosto por construções antigas juntamente com a manipulação fotográfica resultou no projeto “Haussmanhattan”, uma série de fotomontagens que revelam a beleza arquitetônica e os contrastes de duas importantes cidades, Nova York e Paris, durante o início do século XX.

As construções de cada cidade refletem o estilo de vida e a cultura de cada região. Enquanto em Nova York podemos visualizar milhares de arranha-céus, olhamos para Paris e nos deparamos apenas com a arquitetura clássica. Mas por pouco tempo, pois há 42 anos banidos, recentemente a capital francesa aprovou a construção de um novo arranha-céu, o Tour Triangle, que terá 180 metros de altura e pode ser o início de uma mudança no cenário da metrópole parisiense.


         

         

         

         

         

         

 
Marcadores: AF, Arquitetura, Artes, Cultura, Design, Fotos, Turismo, Viagem
Comentários (0)
 
Quarta-Feira, 26 de agosto de 2015

Le film Le Petit Prince por Alana Bof

 
O Pequeno Príncipe, a obra que em menos de 100 páginas encantou o mundo pela maneira simples e lúdica com que o autor apresenta assuntos complexos e filosóficos, ganhou recentemente um novo filme. É a segunda vez que o personagem mais popular de Saint-Exupéry vai parar nas telas do cinema. A primeira foi em 1974, em forma de musical. Agora, no ano em que a obra virou domínio público, a história ganhou outra versão para o cinema, no formato de animação.

Ao assistir o trailer do filme, imaginei que a presença da história paralela de uma menina poderia prejudicar a narrativa tão bem construída por Saint-Exupéry.

Na animação, esta menina tem uma vida completamente regrada por horários e metas e sua mãe tem um cronograma com todo o projeto de vida da criança. Para conseguir uma vaga na melhor escola da cidade, ela precisa mudar de casa. E é graças a essa mudança que ela conhece um senhor, seu vizinho, muito diferente das pessoas com as quais ela está acostumada a conviver. Uma mistura de sonhador e hippie, um tanto quanto acumulador. Acredito que esse personagem seja uma referência ou homenagem ao próprio Saint-Exupéry, considerando a paixão pela aviação, semelhança marcante entre o personagem e o escritor. É este senhor que apresenta, por meio de um avião de papel, a história do pequeno príncipe para a criança. E a partir desse momento, o filme começa a intercalar em sua narrativa as história do príncipe e da menina.

Ao contrário do que imaginei, a inserção de uma história paralela valorizou ainda mais o conto do Pequeno Príncipe.

Apesar de ser vendido como um filme para crianças, especialmente por ser uma animação, a produção traz as mesmas reflexões profundas do livro, a essência da filosofia de Exupéry, estimula reflexões e faz críticas sutis à sociedade. Ao mesmo tempo, a utilização do stop motion para retratar a história do príncipe traz leveza à produção, e a linguagem simples permite a compreensão infantil.

Em suma, o filme é imperdível, tanto para aqueles que já são fãs do menino aventureiro dono de um planeta, quanto para os que (ainda) não leram o livro. E para os estudantes de francês, é mais imprescindível ainda, já que o áudio original é no idioma nativo do autor dessa obra tão célebre da literatura francesa.
         

         

         

 
Marcadores: AF, Animação, Cinema, Cultura, Dicas, Ilustrações, Resenha
Comentários (1)
 
Quarta-Feira, 12 de agosto de 2015

La Provence et ses Parfums por Claudete Travi

 
 Não dá para resistir aos campos de papoulas, lavandas e girassóis que se encontram na região da Provence. Eles são uma verdadeira ode ao perfume. Assim como visitar. Le Musée International de la Parfumerie, em Grasse, conhecida como capital mundial do perfume, ou o Musée de la Lavande, em Coustellet, que ajudam a dar uma incrementada e tanto em nossa memória olfativa. Por fim, é preciso conhecer o famoso savon de Marseille e seus magníficos benefícios.
Venez voyager avec nous!

O Museu do Perfume é uma aula de história e de perfumaria, uma verdadeira imersão no universo dos perfumes. Lá é possível visitar seu belo jardim com uma infinidade de plantas das quais são extraídas les meilleurs essences de parfums du monde como a da rosa de maio, lavanda e jasmim, ah, a de limão verde é importada do Brasil! Essa descoberta pode ser feita pelo mapa de produção disponível, assim como qual o perfume em voga no ano de seu nascimento na linha do tempo da perfumaria mundial com amostras reais de todos os seus frascos, très intéressant.

Dá para falar da Provence sem falar da lavanda? Nãoooooo...No entanto, para vê-la é preciso ir até lá de junho a agosto apenas. Fora deste período, só no Museu da Lavanda pode-se sentir a intensidade de seu perfume e encontrar dezenas de produtos feitos com ele na boutique: crèmes pour les mains et les pieds, óleos de massagem e cicatrizantes, sabonetes, velas, aromatizadores, sachês para roupas e armários, chás e até miel de lavande. Aliás, há muitos tipos de lavanda, mas a mais cobiçada é a lavanda real, também chamada de “ouro azul da Provence”. O lavandin, que é um híbrido com igual beleza e muito produzido também, é de qualidade inferior para a indústria química, perfumista e cosmética. Ele é mais utilizado para a indústria de material de limpeza.

Outro produto que chama a atenção nesta região é o “savon de Marseille”. Ele está à venda dans toutes les villes. Corre à boca pequena nas lojas da região (quer dizer, hoje a internet tornou essa informação global) que 95% do sabão produzido com a indicação de “savon de Marseille” é falso. Por isso, hoje a indústria genuína do sabão está muito preocupada em manter viva sua história e autenticidade. Será que comprei um falso? 

Voilà! Não vamos discorrer por aqui sobre os meandros da indústria pirata do savon de Marseille, mas sim sobre as qualidades deste patrimônio cultural da Provence. O autêntico sabão de Marselha é um cubo de 600g, composto por 72% de puro óleo vegetal (de oliva, palma ou coco) e soda. O processo de produção é feito todo em caldeiras. O ciclo completo de fabricação demora em torno de 80 horas, com a pasta sendo mantida fervendo de 8 a 10 horas ao dia e descansando à noite. Até ficar pronto ele passa por cinco etapas: a saponificação; o acréscimo da soda; a lavagem em água salgada e várias em água doce; retirada do líquido em excesso por decantação e, por fim, mais uma ebulição. Para chegar a forma final, após a ebulição ele fica em repouso de 18h a 48h, depois é extrusado em série para tornar a massa homogênea - esse processo dura 2 dias - e colocado em matrizes para depois de sólido ser cortado em cubos e marcado nos 6 lados.

O verdadeiro sabão de Marseille não contém conservantes ou corantes, é 100% biodegradável, hipoalergênico e antibactericida. Sua cor pode mudar ao longo do tempo e ela depende do óleo utilizado, mas pode variar do vert au brun (derivado do óleo de oliva), ou plus clair, du jaune au blanc (derivado do óleo de coco ou de palma). Ele também pode ser perfumado se a essência for incorporada após a última trituração.

Ah, Provence!!! Pays de milliers de couleurs, arômes et parfums!
         

         

         

 
Marcadores: AF, Claudete Travi, Curiosidades, Dicas, Fotos, Turismo, Viagem
Comentários (1)
 
Sexta-Feira, 07 de agosto de 2015

“Mostra de Cinema Francês

 
O Arte Sesc – Cultura por toda parte, através do projeto CineSesc, promove em Caxias do Sul, a “Mostra de Cinema Francês”. As sessões gratuitas de cinema, que acontecem entre os dias 10 e 14 de agosto, contam com o apoio da Unidade de Cinema e Vídeo, da Secretaria Municipal da Cultura. A programação contempla a apresentação dos títulos “O Quadro”, “Românticos Anônimos”, “Amor”, “A Guerra dos Botões” e “Montmartre Diversão e Crime”. Todos com exibição na Sala de Cinema Ulysses Geremia (Rua Luiz Antunes,312), de segunda a sexta-feira.

CineSesc – Mostra de Cinema Francês
Período: 10 a 14 de agosto
Local: Sala de Cinema Ulysses Geremia (Rua Luiz Antunes,312 - Caxias do Sul)
Entrada franca

Confira a agenda completa.

10/08 – Filme: Amor

Horário: 19h30
Amour (2013) – França / Alemanha / Áustria – Drama – 127min – De Michael Haneke
Classificação: 14 anos
Sinopse: Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuelle Riva) são um casal de aposentados que costumava dar aulas de música. Eles têm uma filha musicista que vive com a família em um país estrangeiro. Certo dia, Anne sofre um derrame e fica com um lado do corpo paralisado. O casal de idosos passa por graves obstáculos que colocarão seu amor em teste.

11/08 - Filme: Românticos Anônimos
Horário: 19h30
Les Emotifs Anonymes (2010) – França – Comédia – 77min - De Jean Pierre Améris
Classificação: 10 anos
Sinopse: Angélique Delange (Isabelle Carré) é uma talentosa confeiteira que faz chocolates requintados reconhecidos pelo público e crítica especializada. Entretanto, como fica ansiosa quando olham para ela, Angélique prefere o anonimato e finge ser apenas uma entregadora. Sem emprego, ela consegue trabalho na Fábrica de Chocolates, que está à beira da falência. Só que, ao contrário do que imaginava a princípio, consegue a vaga de representante comercial da empresa. Ela pensa em pedir a mudança de cargo, mas é surpreendida com o convite para jantar de Jean-René Van Den Hudge (Benoît Poelvoorde), dono da empresa. O problema é que Jean-René, assim como Angélique, é extremamente tímido e possui muitas dificuldades em manter contato com outras pessoas.

12/08 – Filme: A Guerra dos Botões
Horário: 19h30
La Guerre des boutons (2011) – França - Aventura – 105min - De YannSamuell
Classificação: 12 anos
Sinopse: Em 1960, em uma aldeia no sul da França, um grupo de meninos, com idades entre 07 a 14 anos, é liderado por Lebrac (Vincent Bres) numa guerra contra as crianças da aldeia vizinha. Trata-se de uma batalha tradicional, realizada há gerações pelos jovens das duas aldeias. Eles lutam pela honra e lealdade, mas se utilizam dos meios necessários para vencer. O exército de pequenos homens tenta de todas as formas não ser percebido por pais e mães, o que é complicado quando voltam para casa com as roupas rasgadas e sem botões.

13/08 - Filme: O Quadro
Horário: 18h30
Le Tableau (2011) - Bélgica, França, Suíça – Animação – 76min – De Jean-François Laguionie.
Classificação: Livre
Sinopse: Um quadro inacabado mostra um castelo cercado por um jardim. Lá vivem três tipos de personagens: os “Todopintados”, que já estão totalmente pintados, se julgam superiores e detêm o poder; os “Pelametades”, com pequenos detalhes sem tinta; e os “Rabiscos”, que são apenas esboços, sofrendo o desprezo e a violência dos primeiros. Ramô, um dos “Todopintados”, apaixonado por Claire, uma “Pelametade”, se junta a outros personagens inconformados com a situação, e sai do quadro à procura do pintor para que ele termine seu trabalho e restaure a harmonia no universo da pintura.
* César 2012 - Indicado ao Prêmio de Melhor Animação.
* Festival do Filme de Animação de Annecy 2012 - Seleção Oficial.

14/08 - Filme: “Montmartre Diversão e Crime”

Horário: 18h30
Montmartre Du Plaisir Et Du Crime (2006) – França – Documentário – 52min – De Jean-Pierre Beaurenaut.
Classificação:
Sinopse: Da Paris artística à Paris malandra, dos pinceis de Picasso às pernas de Mistinguett, este filme reúne belamente as curvas da história de Montmartre. A evolução deste bairro é traçada em uma perspectiva ao mesmo tempo histórica e didática. Diversas imagens de arquivo testemunham a fusão artística e o carrossel de prazeres que foi Montmartre, ao ritmo de bailes alucinantes e crianças dando cambalhotas nas ruas, capturadas para sempre pela câmera de Doisne
         

 
Marcadores: AF, Cinema, Cultura
Comentários (0)
 
Página « 6 7 8 9 10 11 12 13 14 »
     
     
 

Parceiros

                   
 
 
  Aliança Francesa Caxias do Sul  
Facebook Twitter  
Rua Coronel Flores, 749, sala 202 - 54 3221.5212
 
 
  Desenvolvimento: WCM3 Agência Web Digital Feeling Estúdio de Criação