Página Inicial Institucional Cursos Exames Blog Links Contato
 
 
Aliança Francesa Caxias do Sul
 
     

Blog

   
  » ARQUIVO
  » 2017
  » 2016
  » 2015
  » 2014
  » 2013
  » 2012
  » 2011
  » 2010
  » 2009
   
  » MARCADORES
  » AF
  » Animação
  » Anniversaire
  » Arquitetura
  » Artes
  » Automobilismo
  » Beleza
  » Biografia
  » Capacitação
  » Carros
  » Ce que j'ai vu en France
  » Cesar Mateus
  » Ciência
  » Cinema
  » Claudete Travi
  » Confraternização
  » Culinária
  » Cultura
  » Curiosidades
  » Dança
  » Design
  » Dicas
  » Entrevista
  » Escultura
  » Esportes
  » Evento
  » Fenêtres Ouvertes
  » Fotos
  » Frisson em Paris
  » Frisson em Paris 2012
  » História
  » HQ
  » Ilustrações
  » Imprensa
  » Intercâmbio
  » La première fois que j’ai vu...
  » Literatura
  » Marília Galvão
  » Meio ambiente
  » Moda
  » Música
  » Pintores
  » Plume d'Or
  » Polêmica
  » Política
  » Promoções
  » Publicidade
  » Resenha
  » Revista
  » Solidariedade
  » Teatro
  » Trabalhos de aula
  » Turismo
  » TV
  » Viagem
  » Vídeo
  » Visitas
 
 
Segunda-Feira, 07 de abril de 2014

120 dias de Sodoma retornam à França

 
O manuscrito de uma das mais famosas obras do mundo, Os Cento e Vinte Dias de Sodoma, retorna à França depois de décadas de confusão. Roubado em 1982 e alvo de disputa por duas famílias por muito tempo, foi comprado por 7 milhões de euros por Gérard Lhéritier, presidente do Museu de Cartas e Manuscritos. Foram três anos de negociação até conseguir levá-lo de volta ao país de origem.

O livro foi escrito em 1785 em uma cela da famosa prisão da Bastilha (sim, essa mesmo) por Donatien Alphonse François de Sade, o Marquês de Sade. Repleto de perversões sexuais (cuja prática levara o Marquês à prisão), o livro estava escondido entre as pedras da cela de Sade, que imaginou ter perdido sua obra após o incêndio da prisão. Por sorte, o manuscrito foi encontrado e guardado. Manuscrito, aliás, que mede metros, pois o autor escrevia em pequenas folhas e as unia em forma de pergaminho para que não fossem encontradas pelos seus captores.

Polêmico, o livro narra a história de quatro homens que se trancam em um castelo com 40 homens e mulheres para submetê-los a centenas de abusos e violências que incluiam desde orgias à prática da coprofilia. Foi vendido ao Marquês de Villeneuve-Trans e conservado por sua família até o final do Século XIX, quando foi vendido ao psiquiatra Iwan Bloch, que o publicou em 1904. Em 1976, a obra serviu de inspiração ao filme Saló ou Os 120 Dias de Sodoma, de Pasolini, até hoje proibido em diversos países.

Graças não apenas à obra recheada de sexo e violência (normalmente juntos), mas também à vida do marquês, o termo "sadismo" é usado para definir a excitação e o prazer obtidos pelo sofrimento alheio. Mesmo polêmico, ele influenciou escritores como Victor Hugo, Flaubert e Balzac. Agora, finalmente, a obra retorna à França no ano em que se comemoram os 200 anos da morte de Sade. As comemorações incluem a publicação de livros e cartas, além de uma exposição no importantíssimo Musée d'Orsay.


         

 
Marcadores: Artes, Cultura, História, Literatura, Polêmica
Comentários (0)
 
Sexta-Feira, 21 de março de 2014

Orquestra Nacional Francesa fará show com instrumentos pré-históricos

 
De amanhã, 22 de março, a segunda-feira, a Orquestra Nacional Francesa fará três apresentações inusitadas. Os protagonistas não serão solistas renomados nem um maestro de penteado esquisito, mas instrumentos pré-históricos com cerca de dez mil anos saídos de um museu. Conhecidos como litófonos, os 24 carrilhões de pedra serão tocados em público pela primeira - e provavelmente última - vez.

Segundo Erik Gonthier, arqueólogo musical do Museu de História Natural de Paris, a ideia é de fazer apenas essas apresentações para evitar qualquer tipo de dano ou desgaste aos instrumentos. O compositor clássico Philippe Fenelon é o responsável pela peça "Paleomusique", que demonstrará ao público o som dos instrumentos usados por nossos ancestrais. Especialistas afirmam que os litófonos foram feitos em algum ponto entre 2500 e 8000 AC. Por muitos anos, arquólogos pensavam que se tratavam de algum tipo de moedor de grãos, até que o joalheiro Gonthier descobriu, acidentalmente, o potencial musical dos objetos. Especula-se que podem ter sido usado tanto como instrumentos musicais como para emitir sinais de aviso.

Quem tiver curiosidade para saber que tipo de som sairá das pedras pode dar uma olhada em alguns litófonos modernos em ação nos vídeos aí embaixo.





 


 
 
Marcadores: Cultura, Curiosidades, História, Música, Vídeo
Comentários (0)
 
Sexta-Feira, 06 de dezembro de 2013

Bon anniversaire, Père Noël!

 
Bem, não é exatamente isso, mas no clima de Natal vale dar uma forçadinha na barra. Hoje, 6 de dezembro, é dia de São Nicolau de Mira, o santo católico que serviu de inspiração para o nosso Papai Noel. A data marca o falecimento do santo, no ano de 342. Mas esqueçamos um pouco do padroeiro da Rússia, Grécia e Noruega e voltemos ao nosso bom velhinho, homenageado desse post.

O Papai Noel que conhecemos hoje começou a tomar forma, nos Estados Unidos, no século XIX. O nome Santa Claus, como é conhecido por lá, foi levado por imigrantes holandeses. Com o tempo, a data para a distribuição dos presentes foi alterada para o dia 25, de modo a coincidir com o Natal.

Com um poema de Clement Clarke Moore, intitulado "A visit from St. Nicholas" (Uma visita de São Nicolau, 1823), Papai Noel deixou de lado seus aspectos mais religiosos para incorporar algumas de suas características atuais. Foi com esse texto que ele "ganhou" seu trenó puxado por oito renas voadoras e passou a entrar pelas chaminés das casas com seu saco cheio de presentes, os quais eram colocados nas meias das crianças.

Na segunda metade do século XIX, Papai Noel começou a tomar forma pelas mãos dos cartunistas John Tenniel e Thomas Nast. Durante um bom tempo, as roupas do bom velhinho se alternaram entre o verde e o vermelho. Foi com a força da publicidade da Coca-Cola que acabaram ficando vermelhas de vez, embora não tenha sido a marca de refrigerante a primeira a mostrá-lo vestido nessas cores, como muitos imaginam.

Na Europa, foi apenas depois da Primeira Guerra Mundial que Papai Noel começou a se popularizar, tornando-se rapidamente uma presença marcante nas festas de Natal.
         

 
Marcadores: Curiosidades, História
Comentários (0)
 
Quarta-Feira, 27 de novembro de 2013

Dominique de Villepin leiloa biblioteca particular

 
O ex-primeiro ministro francês Dominique de Villepin anunciou em outubro o leilão de sua biblioteca particular, que reúne grande número de livros, fotografias, cartazes e manuscritos. Logo após completar 60 anos, o político anunciou que iria se desfazer da coleção.

Entre os destaques, estão o poema Leaves of Grass, escrito em 1855 por Walt Whitman, considerado por historiadores como uma espécie de segunda declaração de independência dos Estados Unidos e avaliado em 80 mil euros; o livro de Albert Camus, L’Homme Révolté, com dedicatória para o casal Jean-Paul Sartre-Simone de Beauvoir, avaliado em 60 mil euros; escritos de Mao Tse Tung com dedicatória de Sartre para sua amante Michelle Vian; e textos e manuscritos de Lênin, Che Guevara, Gandhi e Trotsky. 

Estima-se que o leilão pode arrecadar até 1,5 milhão de euros.O leilão acontece amanhã e depois (28 e 29 de novembro), na casa Drouot, em Paris.

         

 
Marcadores: Artes, História, Literatura, Política
Comentários (0)
 
Página « 1 2 3 4 5 6 7 8 »
     
     
 

Parceiros

                   
 
 
  Aliança Francesa Caxias do Sul  
Facebook Twitter  
Rua Coronel Flores, 749, sala 202 - 54 3221.5212
 
 
  Desenvolvimento: WCM3 Agência Web Digital Feeling Estúdio de Criação