Página Inicial Institucional Cursos Exames Blog Links Contato
 
 
Aliança Francesa Caxias do Sul
 
     

Blog

   
  » ARQUIVO
  » 2017
  » 2016
  » 2015
  » 2014
  » 2013
  » 2012
  » 2011
  » 2010
  » 2009
   
  » MARCADORES
  » AF
  » Animação
  » Anniversaire
  » Arquitetura
  » Artes
  » Automobilismo
  » Beleza
  » Biografia
  » Capacitação
  » Carros
  » Ce que j'ai vu en France
  » Cesar Mateus
  » Ciência
  » Cinema
  » Claudete Travi
  » Confraternização
  » Culinária
  » Cultura
  » Curiosidades
  » Dança
  » Design
  » Dicas
  » Entrevista
  » Escultura
  » Esportes
  » Evento
  » Fenêtres Ouvertes
  » Fotos
  » Frisson em Paris
  » Frisson em Paris 2012
  » História
  » HQ
  » Ilustrações
  » Imprensa
  » Intercâmbio
  » La première fois que j’ai vu...
  » Literatura
  » Marília Galvão
  » Meio ambiente
  » Moda
  » Música
  » Pintores
  » Plume d'Or
  » Polêmica
  » Política
  » Promoções
  » Publicidade
  » Resenha
  » Revista
  » Solidariedade
  » Teatro
  » Trabalhos de aula
  » Turismo
  » TV
  » Viagem
  » Vídeo
  » Visitas
 
 
Sexta-Feira, 06 de fevereiro de 2015

Canção

 
Toda canção, por mais bela que seja, tem um fim. E a nota final de uma linda canção aconteceu no último domingo, quando o pianista francês Aldo Ciccolini faleceu, aos 89 anos. “Um monumento da história da música” é como foi descrito pelo diário francês Le Figaro o grande pianista que não apenas representou grandes compositores como mostrou o trabalho daqueles menos conhecidos.

Prodígio, já esboçava seu talento aos 5 anos. Aos 9 tinha aulas de composição no Conservatório de Nápoles, sua cidade natal. Ainda na infância, o pai o questionou: “Estarás pronto a sacrificar a tua vida pela música?”, embora ainda muito jovem para uma decisão dessas, Aldo prontamente respondeu “sim” e de fato, dedicou sua vida ao piano sem jamais se arrepender.

Embora nascido italiano, Aldo adotou a França de tal forma que conquistou, na década de 70, a cidadania francesa, identificando-se até o final da sua vida como francês.

Gravou mais de uma centena de discos, ensinou mais jovens do que sua memória era capaz de recordar, viveu plenamente para a arte e faleceu em casa, uma semana após uma alta hospitalar .



         

 
Marcadores: AF, Cultura, Música
Comentários (0)
 
Comentários
 
Nenhum comentário até o momento!
Seja o primeiro a comentar.
 
Envie seu comentário
Nome:  
E-mail: Este campo não aparecerá na postagem.
Comentário:  
Código de segurança:
Preencha o campo ao lado
   
     
     
 

Parceiros

                   
 
 
  Aliança Francesa Caxias do Sul  
Facebook Twitter  
Rua Coronel Flores, 749, sala 202 - 54 3221.5212
 
 
  Desenvolvimento: WCM3 Agência Web Digital Feeling Estúdio de Criação